Arquivo

Archive for novembro \22\UTC 2010

Grupo PCI lança especificação PCI Express 3.0

Logo PCI Express

A equipe do PCI Special Interest Group lançou o padrão PCIe Base 3.0 aos seus membros. A arquitetura é duas vezes mais rápida que a especificação PCIe 2.0, e pode chegar a uma taxa de dados de 8 Gigatransfers (GT) por segundo. A expansão nesta taxa permite aos produtos terem uma banda próxima ao 1 GBps, em uma direção, em uma configuração de via simples, e uma velocidade próxima aos 32 GBps em uma configuração de 6 vias.

A eficiência na codificação foi aumentada para quase 100%, representando uma melhoria de aproximadamente 25%; valendo lembrar que esta codificação continua compatível com a atual especificação PCIe 2.0. Também foram alteradas as camadas de protocolo e software da arquitetura, que agora inclui dicas de reutilização, operações atômicas, mecanismos de ajuste dinâmico de energia, elaboração de relatórios de tolerância a latência, dentre outras extensões. As alterações fazem a especificação ser mais eficiente em consumo de energia, usando melhor os dados existentes e somente negociando o que for necessário.

As aplicações em potencial do novo padrão inclui virtualmente qualquer computador que necessita de alta performance para gráficos e outros periféricos, como servidores, workstations, desktops voltados a jogos e notebooks parrudos. Os assinantes podem desde já baixar a especificação PCIe Base 3.0. O lançamento de hardware compatível depende dos fabricantes.

2011 11 22

Anúncios
Categorias:Hardware Tags:

Prevendo defeitos no HD

Um dos problemas fundamentais dos HDs é que, por guardarem uma quantidade muito grande de informações, qualquer defeito tem um efeito potencialmente catastrófico. É muito diferente de riscar ou perder um CD-ROM, por exemplo, já que o CD armazena uma pequena quantidade de dados, geralmente cópias de dados que estão gravados em algum outro lugar.

A boa notícia sobre os defeitos mecânicos é que, na maioria dos casos, eles são causados por desgaste cumulativo, de forma que, antes de parar definitivamente, o HD emite sinais que permitem perceber que algo está errado.

Tudo geralmente começa com uma redução progressiva no desempenho, causada por desgaste do motor de rotação, desgaste do sistema que movimenta as cabeças de leitura, erros de leitura ou as três coisas combinadas.

Outro sinal característico é um barulho de “click click” no início do boot (que com o tempo passa a se tornar mais e mais freqüente, até que o HD passa a não fazer outra coisa ao ser ligado), que indica problemas de posicionamento das cabeças de leitura, causados por envelhecimento da mídia ou danos cumulativos nas próprias cabeças. É normal que o HD emita um “click” ao ser ligado ou retornar do modo de economia de energia, mas clicks repetidos são sinal de problemas.

Outros sinais, menos visíveis, são monitoradas pela própria placa lógica do HD, utilizando um sistema chamado S.M.A.R.T. O relatório é armazenado em uma área de memória não volátil do HD e guarda informações estatísticas armazenadas desde o primeiro boot.

O S.M.A.R.T não tem como prever defeitos súbitos, como um chip estourado na placa lógica, por causa de um pico de tensão, mas ele faz um bom trabalho em alertar sobre o risco de defeitos mecânicos.
Todos os HDs atuais oferecem suporte ao S.M.A.R.T. Você pode acompanhar o relatório através de programas como o HDTune (http://www.hdtune.com/) e o SmartExplorer (http://adenix.net/downloads.php), ambos freeware, ou o daemon smartmontools (http://smartmontools.sourceforge.net/), no Linux.

Estes programas mostram uma série de atributos relacionados ao HD, como neste screenshot do HDTune:

Em um HD saudável (mesmo em um HD que já tenha dois anos de uso ou mais), todos atributos devem receber o Status “ok”, indicando que estão dentro da faixa de tolerância especificada pelo fabricante.

Quando qualquer um dos atributos passa a apresentar a flag “failed”, é hora de fazer backup dos dados e trocar de HD, já que a possibilidade de falha passa a ser muito grande. Se ainda não houver muitos sintomas aparentes, você pode até aproveitar o HD em algum micro sem muita importância (usado apenas para navegar, por exemplo), mas não o utilize mais para guardar dados importantes.

Cada atributo possui quatro valores. O “Current” é o valor atual, enquanto o “Worst” é a pior medição já obtida (na maioria dos casos ambos são iguais, já que a maioria dos valores vai decaindo progressivamente), ambos indicados na forma de um valor decrescente. A coluna “Threshold”, por sua vez, indica o limite mínimo, estabelecido pelo fabricante.

A quarta coluna (Data) mostra a informação em valores absolutos (geralmente crescente). Por exemplo, no screenshot, o “Start/Stop Count” (que indica quantas vezes o HD foi ligado e desligado) está em “213” e o “Power On Hours Count” (quantas horas o HD já permaneceu ligado) está em “454”, indicando que se trata de um HD semi-novo.

A coluna “Data” da opção “Raw Read Error Rate” indica o número de erros de leitura, enquanto a “Reallocated Event Count” indica o número de badblocks remapeados. Qualquer aumento constante nos dois valores é uma indicação de envelhecimento da mídia ou (em casos mais extremos) danos às cabeças de leitura.

As opções “Throughput Performance” (o desempenho bruto do HD) e “Seek Time Performance” (o tempo de acesso) são indicativos do desempenho relativo do HD (por isso ambas estão com o valor “100” na coluna Current do screenshot, indicando que as medições estão normais). Reduções nestes dois valores indicam desgaste do motor de rotação, ou do sistema de movimentação dos braços de leitura.

Em ambos os casos, os valores vão mudando lentamente, permitindo que você acompanhe o desgaste do HD e possa planejar o próximo upgrade ou substituição muito antes dos alarmes começarem a disparar. Sai sempre muito mais barato fazer backup e trocar o HD quando ele começa a apresentar sinais do problemas do que ter que recorrer a uma empresa de recuperação depois que o desastre já aconteceu.

Fonte: http://www.guiadohardware.net/dicas/prevendo-defeitos-hds.html

2010 11 19

Ativando o cache de memória do Firefox

Armazenar um cache das páginas em disco surgiu em uma época em que as conexões eram muito mais lentas e as páginas muito mais simples do que hoje em dia. Embora o cache em disco continue sendo importante em muitas situações (com destaque para quem navega usando as sofríveis conexões “3G” oferecias pelas operadoras nacionais), já existem casos em que o cache em disco acaba por atrapalhar, já que a leitura de um grande número de pequenos arquivos pode demorar mais do que um novo download através de uma conexão rápida. Para complicar, o cache de aplicativos, anúncios e vídeos em flash, que seria o que realmente poderia ajudar a melhorar a velocidade é desativado pelo plug-in da Macromedia.

Embora o recurso venha desativado por padrão, o Firefox oferece a opção de desativar o cache em disco e armazenar o cache diretamente para a memória RAM, o que oferece acesso quase instantâneo aos arquivos, eliminando as desvantagens do cache.

Para ativá-lo, acesse o “about.config” e faça uma busca por “browser.cache“. Entre as opções, é necessário fazer 3 modificações:

  1. Configure a “browser.cache.disk.enable” como “false
  2. Configure a opção “browser.cache.memory.enable” como “true
  3. Crie uma nova opção clicando como botão direito em qualquer espaço vazio dentro da janela e selecionando a opção “Nova preferência > Número Inteiro”. No nome da opção coloque “browser.cache.memory.capacity” e no valor coloque “64000” ou outro valor (em kbytes) para o tamanho do cache na memória (caso prefira deixar o Firefox gerenciar o espaço dinamicamente, use o valor “-1“)

Existem prós e contras em ativar o cache na memória. A grande vantagem é que o acesso às páginas no cache passa a ser muito mais rápido, já que ele deixa de perder tempo lendo arquivos no HD. Você deixa também de armazenar as várias centenas de arquivos do cache dentro do diretório home, o que pode facilitar os backups.

As desvantagens são que o cache deixa de ser permanente (ele passa a ser perdido sempre que o micro é reiniciado) e você passa a sacrificar um pequeno espaço adicional na memória para o armazenamento do cache (embora um cache de 64 MB seja quase insignificante perto das centenas de megabytes que uma janela do Firefox com um punhado de abas abertas consome).

Em resumo, o cache em memória é mais interessante para quem mantém o micro ligado por longos períodos (ou tem o hábito de colocá-lo para dormir em vez de desligá-lo) e menos interessante para quem liga e desliga diariamente.

Fonte: http://www.guiadohardware.net/dicas/cache-memoria-firefox.html

2010 11 19

Desabilitando a Aceleração de Hardware no Internet Explorer 9

A nova versão do navegador busca diversos recursos que a tornam diferente e competitiva. Um destes elementos que realmente possui grande destaque é a aceleração de hardware oferecida pelo browser, o que o coloca em vantagem com relação aos seus competidores.

O Internet Explorer 9 é capaz de efetuar a aceleração de todas as etapas do processamento de páginas HTML (completa). Com isso, ele consegue renderizar um site de maneira mais rápida e efetiva, utilizando recursos do hardware de seu computador, no caso, o processador gráfico da máquina (GPU).

O que a Aceleração de Hardware realmente faz com o PC:

Referido recurso permite um melhor aproveitamento dos recursos gráficos das páginas da internet. Ou seja, você pode assistir a vídeos em alta resolução enquanto utiliza outros recursos do computador ou navega em páginas diferentes, aproveitando as imagens de maneira mais eficiente, sem apresentar travamento ou comprometer o desempenho da máquina.

A aceleração de hardware também possibilita melhores experiências com jogos online que rodem a partir do navegador, carregando telas e ações de forma mais rápida e com mais qualidade. Entretanto, se você possui um computador mais modesto ou um que naturalmente possui menos recursos (como um netbook), o navegador pode apresentar mau funcionamento e travamentos.

Nesses casos, o mais indicado é que você desative o recurso de aceleração de hardware. Isso pode ser feito de maneira bem simples e para começar, abra o navegador e acesse o menu de Ferramentas. Então, escolha “Opções da Internet”.

Feito isso, vá até a alternativa “Elementos gráficos acelerados” e marque a caixa de seleção ao lado de “Usar renderização de software, em vez de renderização de GPU”. Em seguida, reinicie o navegador para que as alterações passem a ter efeito.

A partir disso, o recurso está desativado. Se você quiser reativá-lo posteriormente, basta repetir o processo e desmarcar a opção citada.

Importante relatar que se o PC não possuir uma placa de vídeo dedicada, o ideal é deixar a aceleração por GPU desativada, pois o processador processa mais rápido do que um adaptador gráfico onboard.

Fonte: diversos

01/11/2010

 

 

O celular mais simples do mundo

Enquanto a guerra pelo celular com mais funções continua entre as maiores fabricantes de aparelhos do mundo, a agência de design holandesa John Doe decidiu seguir na direção oposta. A empresa lançou o John’s Phone, um celular que tem as ligações como sua única função.

O aparelho propõe simplificar a utilização de celulares, e acompanha apenas uma caneta e um bloquinho, que servem para fazer anotações e armazenar os contatos. O display, localizado na parte superior do dispositivo, exibe apenas os números discados, a intensidade de sinal e a quantidade de bateria restante.

O celular é desbloqueado e promete funcionar com cartões SIM em redes 3G de todo o mundo, menos no Japão e Coreia do Sul. A bateria tem autonomia de três semanas, e pode ser recarregada na tomada ou pelo computador.

O John’s Phone está disponível em cinco cores diferentes e é vendido exclusivamente no site oficial, por preços que variam entre 69,95 €, para a versão branca, e 79,95 €, para as coloridas. Pela página do fabricante também é possível comprar acessórios como fones de ouvido, novas canetas, bloquinhos e adesivos.

Fonte: http://www.baixaki.com.br/info/6128-conheca-o-celular-mais-simples-do-mundo

01/11/2010

caderno eletrônico colorido estilo e-Reader

Foi anunciado, nesta semana, um novo produto eletrônico que traz um conceito diferente aos portáteis: o E-Notepad EKING S700. A diferença é que o produto tem a intenção de ser exatamente um caderno de anotações eletrônico colorido.

Com uma tela resistiva e uma caneta para usar a tela de toque, o produto é destinado principalmente para a área corporativa, pois ajuda a aumentar a produtividade, já que é possível executar diversas tarefas diferentes e usar a internet para navegar.

Com o produto, o usuário pode verificar e enviar emails, organizar-se por uma agenda, escanear e editar documentos, gerenciar ações da bolsa, usar GPS, ler revistas, jornais e livros eletrônicos. O entretenimento não fica para trás e, sendo assim, o aparelho também permite ver vídeos, ouvir músicas, jogar e usar aplicações de mensagens instantâneas, como o MSN.

Características do Caderno Eletrônico

A aparência do produto lembra uma agenda de papel. O tamanho da tela é de 7 polegadas e o produto vem com 3G e Wi-Fi.  Também conta com uma câmera de 3 megapixels e foco automático para coletar informações de cartões de visitas e organizá-los em uma espécie de agenda, sendo muito mais fácil procurar por alguma pessoa específica.

O produto suporta o uso de escrita à mão e transforma automaticamente a caligrafia em textos padronizados com fontes normais do computador. Vem também com um sistema de reconhecimento de impressão digital para impedir que curiosos de plantão mexam onde não devem e proteção interna para garantir a privacidade.

A maior característica é que, diferente dos e-Readers que já estão no mercado, esse vem com tela colorida para absolutamente qualquer função que seja executada, desde a leitura de livros até a navegação na internet. Outra ótima vantagem é o fato de o produto ser leve e fácil de carregar.

O produto será desenvolvido e lançado pela empresa chinesa Guangxuntong. Não há previsão de lançamento, mas o preço deve ficar por volta de 4.000 yuans (o equivalente a pouco mais de R$ 1000, sem impostos).

Fonte: http://www.baixaki.com.br/info/6212-empresa-chinesa-anuncia-caderno-eletronico-colorido-estilo-e-reader

01/11/2010

NVIDIA GTX 580

Deixa de ser um rumor e ganha forma para concorrer com as novas Radeon HD.

Não restam mais dúvidas de que a concorrente das novas Radeon HD é mais do que real, pois suas imagens apareceram na rede mundial de computadores.

Com um grande cooler, o design da placa lembra muito outros modelos da NVIDIA. Como comentado anteriormente, os rumores sugerem que a placa será baseada no processador gráfico GF110 e tenha 512 núcleos CUDA, 2 GB de memória GDDR5 (512 bits) e 128 unidades de textura.

Com esse processamento gráfico, o clock da placa deve ser de 772 MHz. Pelo que é possível perceber, há dois conectores de alimentação de energia de 6 e 8 pinos na placa, assim como duas saídas de vídeo DVI e uma de Mini HDMI.

Além da placa já não ser tão pequena, o cooler dela também é um pouco exagerado no tamanho. Ele cobre toda a GTX 580, com um ventilador e um dissipador de calor de alumínio. Também vem com cinco pequenos canos de cobre que ficam em contato com a placa (com pasta térmica no meio).

Apesar de não existir nenhuma informação oficial, espera-se que a NVIDIA GTX 580 seja vendida ainda no fim de 2010 nos Estados Unidos, já que o novo chip GF110 deve ficar pronto em novembro. Ainda não há previsão de venda nas lojas tupiniquins.

Fonte: http://www.baixaki.com.br/info/6218-novas-imagens-da-nvidia-gtx-580-caem-na-rede

01/11/2010

 

Primeira imagem da nova placa da NVIDIA.

Fonte da imagem: PicInLife

Na semana passada nós mostramos que os rumores da novíssima GeForce GTX 580 estavam cada vez mais forte, pois a placa apareceu no site oficial da NVIDIA. Dessa vez, não restam mais dúvidas de que a concorrente das novas Radeon HD é mais do que real, pois duas imagens apareceram na rede.

Com um grande cooler, o design da placa lembra muito outros modelos da NVIDIA. Como comentado anteriormente, os rumores sugerem que a placa será baseada no processador gráfico GF110 e tenha 512 núcleos CUDA, 2 GB de memória GDDR5 (512 bits) e 128 unidades de textura.

Primeira imagem da nova placa da NVIDIA.

Fonte da imagem: PicInLife

Com esse processamento gráfico, o clock da placa deve ser de 772 MHz. Pelo que é possível perceber, há dois conectores de alimentação de energia de 6 e 8 pinos na placa, assim como duas saídas de vídeo DVI e uma de Mini HDMI.

O poderoso cooler

Além da placa já não ser tão pequena, o cooler dela também é um pouco exagerado no tamanho. Ele cobre toda a GTX 580, com um ventilador e um dissipador de calor de alumínio. Também vem com cinco pequenos canos de cobre que ficam em contato com a placa (com pasta térmica no meio).

O suposto cooler aberto.

Fonte da imagem: it168.com

Apesar de não existir nenhuma informação oficial, espera-se que a NVIDIA GTX 580 seja vendida ainda no fim de 2010 nos Estados Unidos, já que o novo chip GF110 deve ficar pronto em novembro. Ainda não há previsão de venda nas lojas tupiniquins.

Categorias:Hardware, Noticias Tags: